INSERÇÃO NO MUNDO DO TRABALHO DE INDÍGENAS EGRESSOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE UMA UNIVERSIDADE PÚBLICA DO ESTADO DO AMAZONAS.

Mirian Serrão Vital

Resumo


A partir da teoria de Schultz (1967) que aborda a educação como uma variável imprescindível para aumentar as chances individuais de acesso aos postos de trabalho,  e  dos estudos de Bourdieu (1988), que trata  das  relações  entre a origem social do egresso e sua inclusão no mercado de trabalho, este artigo analisa questões relativas à inserção no mercado de trabalho de  indígenas egressos do Curso de Administração da Universidade do Estado do Amazonas-UEA. Trata-se de uma pesquisa descritiva e explicativa, com abordagem qualitativa. Como principais resultados destacam-se os seguintes aspectos:  a maioria não está trabalhando na área de formação, nem em cargo de nível superior; a percepção quanto às dificuldades para obtenção de trabalho referem-se às poucas vagas para o cargo de administrador e a exigência de experiência; o diploma emitido por uma universidade pública é motivo de orgulho à maior parte dos egressos; o preconceito, por questões de etnia, no processo por busca de trabalho, quase não foi observado; os entrevistados, em sua maioria, não retornaram às suas comunidades quer pelas poucas ofertas de trabalho lá existentes, quer pela percepção da falta de preparo.


Palavras-chave


mercado de trabalho. egressos indígenas. ensino superior

Texto completo:

PDF


Direitos autorais 2019 Revista Conbrad [ISSN 2525-6815] Qualis B5

Qualis B5


INDEXADORES E BASES INTERNACIONAIS

 Resultado de imagem para latindex